Como se prevenir das doenças circulatórias?

Como se prevenir das doenças circulatórias?

No post anterior falamos que as doenças circulatórias são as que mais matam no Brasil e no mundo, segundo o IBGE e a OMS, respectivamente. Hoje, dando continuidade ao assunto, vamos mostrar como se prevenir das doenças circulatórias e como funciona o tratamento.

Segundo a Dra. Alessandra, Cirurgiã Vascular da rede médica Clinipam, o primeiro sinal clínico de uma pessoa com doença circulatória é a morte. Por isso, a prevenção é a melhor escolha para fugir das estatísticas da OMS e do IBGE. E, nesse caso especifico, a prevenção tem um nome: hábitos saudáveis. É ideal fazer o controle do colesterol, da pressão arterial e do diabates.

Curso de cozinha experimental

Curso de cozinha experimental

Entre os cursos e tratamentos oferecidos pelo Centro de Qualidade de Vida da Clinipam (CQV) há o de cozinha experimental. O objetivo é dar orientação e informações sobre formas de preparar a comida, receitas e tudo que envolve a prática da alimentação saudável, reponsável pelo controle de doenças do corpo.

Além do curso, há também palestras sobre alimentação saudável. No dia 19 de junho, por exemplo, a nutricionista Vivian B. M. Carvalho fará uma apresentação sobre alimentação saudável no inverno. Confira programação completa.

Como tratar o transtorno de ansiedade generalizada

Como tratar o transtorno de ansiedade generalizada

O dia a dia do cidadão do século XXI é uma loucura. Muitos trabalham, estudam, cuidam da família e da casa; têm vida social e ainda arranjam tempo para passear com o cachorro no final da tarde. Por conta dessa “muvuca” diária,  o estresse e a ansiedade surgem em alguns momentos, algo comum a qualquer pessoa. Porém, quando a sensação de fadiga, cansaço e medo, características do estresse e da ansiedade, duram muito tempo, é sinal de que algo está errado.

A ansiedade generalizada

Assim como a diabetes tipo 1, da qual já falamos aqui no blog da Clinipam, não se sabe ao certo como a ansiedade generalizada, ou transtorno de ansiedade, se desenvolve. “Fatores como vulnerabilidade, predisposição genética, hormônios e pressão social influenciam no aparecimento da ansiedade, mas, assim como no bolo pronto não dá para identificar a farinha, também não é possível precisar o que detona o problema”, disse Marcos Ferraz, professor titular aposentado do Departamento de Psiquiatria da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), à Editora Abril.

Como prevenir o diabates?

Como prevenir o diabates?

Antes de dar informações sobre como previnir o diabetes, é importante distinguir seus dois tipos. O diabetes tipo 1, que ocorre geralmente em crianças e adolescentes, é caracterizado pela falta de insulina, hormôno responsável pelo controle de glicose no corpo. Ainda não são conhecidos todos os fatores que levam a pessoa a ter esse tipo de doença, também conhecida como diabetes mellitus, mas sabe-se que é hereditária e fatores externos, como estresse intenso, podem desencadeá-la.

Já no diabetes tipo 2, causado principalmente por fatores genéticos e pelo sendentarismo, o corpo continua produzindo insulina, mas o próprio organismo desenvolve resistência ao hormônio. “O diabetes tipo 2 está muito relacionado à obesidade. A gordura que se acumula no abdome promove inflamação e obriga o pâncreas a produzir cada vez mais insulina para que a glicose entre nas células”, disse o médico nutrólogo Celso Cukier à revista Veja.

Conheça o Centro de Qualidade de Vida

Centro de qualidade de vida

A Clinipam possui um Centro de Qualidade de Vida (CQV) especializado no atendimento a adultos e crianças com doenças crônicas. Entre essas doenças estão a diabetes, a hipertensão, a cardiopatia, a doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), a dor crônica (dor osteomuscular com mais de 3 meses) e a obesidade.

Para participar, basta entrar em contato com o CQV por meio do telefone 3021-2030 e agendar uma entrevista, que tem por objetivo identificar o estilo de vida do paciente, histórico de doenças familiar, hábitos, saúde mental, vícios e outras informações.

Cuidados na Gravidez

Cuidados na Gravidez

Você está grávida? Caso sim, vai gostar do post de hoje aqui do blog da Clinipam. Vamos falar sobre os cuidados na gravidez. E olha, são muitos.

A principal dica dos médicos é mais do que conhecida, mas vale a pena ressaltar: nada de cigarros, bebidas alcoólicas ou qualquer outro tipo de droga. “Um único cigarro fumado por uma grávida é capaz de acelerar os batimentos cardíacos do feto”, afirma o cardiologista Jaqueline Sholz Issa em entrevista à revista Crescer.

Resposta à relação de planos suspensos da ANS

Em resposta à relação de planos suspensos divulgada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), a Clinipam – Clínica Paranaense de Assistência Médica – informa que os produtos citados não estão sendo comercializados e a empresa permanece comercializando normalmente seus produtos autorizados pela ANS e esclarece ainda que esta publicação não afeta a qualidade e o atendimento prestado aos seus clientes.

Com 30 anos de atuação, a Clinipam é uma empresa consolidada no mercado de planos de saúde e oferece medicina de qualidade a mais de 130 mil clientes. A missão da operadora é garantir saúde, segurança, bem-estar e tranquilidade aos seus conveniados. Sua estrutura própria, seu corpo clínico e a certificação ISO 9001 reforçam a colocação da empresa entre os melhores planos de saúde de Curitiba, além de evidenciar a qualidade de seus serviços.

Na avaliação do IDSS – Índice de Desempenho de Saúde Suplementar – medido pela ANS, a Clinipam figura como empresa recomendada junto com as principais operadoras de plano de saúde da região.

 

Pesquisa diz que TPM não existe. Você concorda?

TPM existe?

Pesquisadores da Universidade de Toronto, no Canadá, revisaram 47 estudos sobre a tensão pré-menstrural (TPM) e constataram o seguinte: ela é um mito.  De acordo com a professora e psicóloga responsável pela pesquisa, Gillian Einstein, a TPM foi “criada” simplesmente para “diminuir” as mulheres.  Você, mulher, concorda com isso?

Para chegar a essa conclusão, o grupo de Gillian, formado por cinco psicólogos e psiquiatras, analisou 47 estudos sobre o tema e seleciou aqueles que citavam alguma relação científica entre mau humor e período pré-menstural. Do total, apenas sete faziam menção, sendo que as participantes já sabiam do que se tratava a pesquisa, o que pode telâ-las influenciado.

Dicas de alimentação saudável para o verão

Dicas de alimentação saudável para o verão

É, o verão chegou. Muita gente tira férias, vai dar uma corridinha no parque, passa um período na praia e aproveita muito o calor. Mas, por ser uma temporada quente e agitada, o corpo se desgasta muito, perdendo líquidos e sais mineais com mais frequência que o normal. Por isso, é necessário repô-los. Hoje, aqui no blog da Clinipam, você vai ler dicas de uma alimentação saudável para o verão.

O principal item que não pode faltar na sua bolsa de praia ou de corrida é uma garrafa de água. Talvez você não saiba, mas a água, além de hidratar, é responsável por eliminar toxinas, regular nossa temperatura e transportar nutrientes para as células. Para saber a quantidade que você precisa no dia, basta multiplicar seu peso por 0,03. Por exemplo: se você tem 80 quilos, precisa de 2,4 litros por dia. No verão, graças ao calor e à correria, a quantidade pode ser um pouco maior.

Quais os sintomas da depressão

Sintomas da depressão

O médico e apresentador Drauzio Valella definiu a depressão como a “tristeza quando não acaba mais”. Só que diferente da tristeza, comum a qualquer ser humano, a depressão, que afeta mais de 350 milhões de pessoas no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), pode levar ao suícidio.

A cada ano, cerca de um milhão de pessoas tiram a própria vida por conta da depressão. Para se prevenir e não deixar que o sentimento ruim assole sua mente e seu corpo, o ideal é entender quais são os sintomas da doença, como indentificá-la, quais são os tratamentos existentes, entre outras informações.

De acordo com a classificação intenacional de saúde, a depressão se divide em leve, moderada e grave. Quando está no grau leve, a pessoa consegue levar uma vida normal. Quando está no moderado, o paciente já não consegue viver a rotina sem frustações. Já quando é grave, o risco do suícidio aumenta, sendo que o tratamento é indispensável.