Refrigerante pode estar associado a quase 200 mil mortes

Refrigerante pode estar associado a quase 200 mil mortes

Será que o refrigerante realmente faz mal à saúde? De acordo com estudo divulgado pela Associação Americana de Cardiologia, sim! Segundo o levantamento, o refri – nome popular aqui no Brasil -, pode estar associado a quase 200 mil morte por ano no mundo. Perigoso, não é?

Para chegar a esse resultado, os pesquisadores fizeram uma relação entre os dados do estudo The Global Burden of Disease (O peso Global da doença), publicado em 2010, e o número de mortes por diabetes, doenças cardiovasculares e câncer. Os males do refrigerante foram vistos, principalmente, na América Latina e no Caribe.

Grupo de Diabetes Mellitus

Grupo de Diabetes Mellitus

A Clinipam tem um Centro de Qualidade de Vida que oferece diversos grupos de apoio. Um deles é o Diabetes Mellitus, que tem por objetivo apresentar aos pacientes diabéticos informações sobre a doença, realizar troca de experiências e dar orientações com profissionais especializados no assunto.

Os encontros na Clinipam são mensais. O público-alvo é de pessoas com diagnóstico de diabetes tipo 2. Participam do encontro, que dura uma hora e meia, psicólogas, enfermeiros, educadores físicos, fisioterapeutas e nutricionistas.

Diabetes Mellitus

A diabete mellitus, caracteriza pelo aumento de açúcar no sangue, afeta 12 milhões de brasileiros, segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes. No mundo já são 246 milhões de pessoas, sendo que até 2035 esse número pode chegar a 380 milhões.

O diabetes mata quatro vezes mais que a Aids no Brasil, segundo o Ministério da Saúde. Se você é paciente da Rede Clinipam, participe do grupo de apoio do CQV.  Mais informações podem ser obtidas por telefone (41 – 3021-2030) ou diretamente no site da Clinipam!

Veja também: Como fazer um planejamento familiar?

A Aids tem cura?

 A Aids tem cura?

Pesquisa publicada na revista médica PLoS Pathogens dá um passo importante na descoberta da cura da Aids. Os especialistas responsáveis pelo estudo selecionaram 14 adultos infectados com o vírus entre os anos de 1999 e 2000, com idade entre 34 e 66 anos.

Depois de três anos de tratamento com antiretroviral, todos, com orientação médica, pararam de tomar os remédios recomendados. Os pacientes, então, tiveram uma “cura funcional”,  quando o vírus continua no corpo, mas em um nível tão baixo que já não existe mais a necessidade de tratamento.

Quais são os sintomas da gastrite

Quais são os sintomas da gastrite

Para entender a gastrite, lembre-se de algum episódio em que você comeu algo que não caiu bem no estômago. Sabe aquela sensação estranha, como se fosse uma queimação? Pois é, esse é um dos sintomas da gastrite.

Segundo o gastroenterologista da Rede Clinipam, Dr. Nicolau Czeczko, há dois “tipos” de gastrite: a aguda e a crônica. A aguda ocorre de uma hora para outra por conta do uso de alguns medicamentos, como corticoides e anti-inflamatórios; estresse físico e psíquico; consumo exagerado de bebida alcoólica; e, por último, por causa da ingestão de substâncias ácidas corrosivas.

CQV promove palestra sobre dor crônica

CQV promove palestra sobre dor crônica

A Dra. Letícia Maria Esmanhotto, da Rede Clinipam, promove no dia 24 de abril no Centro de Qualidade de Vida (CQV) a palestra “Dor crônica: o que é e como tratar”. Os eventos do CQV, destinados aos beneficiários do plano de saúde, são gratuitos.

A dor crônica é aquela que dura mais de três meses, segundo reumatologista da Clinipam, Paulo Carrilho.  Cerca de 1/3 da população mundial tem o problema. Durante a palestra, Letícia falará sobre os tipos da doença – osteoartrite, artrite reumatóide e  fibromialgia – e os tratamentos existentes.

Brasil pode ampliar vacinação contra pneumococo

vacina pneumocócica

A vacina pneumocócica, que protege crianças contra doenças causadas por bactérias do tipo pneumococo (pneumonia, otite média aguda e meningite) só pode ser aplicada em crianças de até dois anos de idade pelo serviço público de saúde do Brasil. Porém, um pronunciamento do Ministério da Saúde no início deste mês pode ampliar a aplicação da pneumococica vacina.

A mudança é decorrente de um estudo sobre o impacto do pneumococo na América Latina e no Caribe, coordenado e patrocinado por grandes indústrias farmacêuticas do mundo.  Para que a vacina contra pneumococo realmente seja ampliada no país, a coordenadora do programa de imunização do Ministério da Saúde, Carla Domingues, disse ao jornal Folha de São Paulo que ainda faltam alguns estudos epidemiológicos e financeiros.

Quais são as causas da surdez?

Quais são as causas da surdez?

Você por acaso escuta com frequência um zumbidinho estranho próximo ao ouvido? Cuidado, você pode estar com problemas de audição. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existem mais de 5 milhões de pessoas com deficiência auditiva no Brasil. Hoje o blog da Clinipam vai abordar os cuidados com a audição e as causas da surdez.

A perda de audição pode ser causada por diversos fatores. Existem as pessoas que têm uma predisposição genética; outras desenvolvem a surdez por conta de doenças tóxicas durante a gestão, tais como a sífilis; e, ainda, a perda auditiva pode ser decorrente da ingestão de medicamentos e exposição a sons muito pesados.

De acordo com o otorrinolaringologista da Rede Clinipam, Rogerio Hamerschmidt, há dois tipos de problemas com a audição: a perda auditiva condutiva e a perda de audição neurossensorial.”A auditiva condutiva é caracterizada por problemas no canal do ouvido, nos tímpanos e nos ossinhos: martelo, bigorna e estribo”.

O que é a insônia e quais os seus tipos?

O que é a insônia e quais os seus tipos?

A quantidade diária de horas de sono que pode ser considerada saudável ainda é motivo de dúvida para muita gente. Dormir menos do que se precisa, afinal, é a característica principal da insônia, distúrbio que incomoda 40% dos brasileiros em alguma fase da vida, conforme estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS). Para combater a insônia com eficácia, é preciso conhecer melhor o problema, que pode estar ligado a outros males como obesidade e depressão.

Para o Dr. Matheus Firmino, médico psiquiatra da Rede Clinipam, a insônia pode ser caracterizada pela sensação de que o sono não foi reparador, seja qual for o motivo. Isso é perceptível no dia seguinte, quando a sonolência, a tristeza e a irritabilidade tomam conta do insone. Quem sofre de insônia costuma demorar para dormir, acordar diversas vezes durante a noite ou despertar bem antes de ter recarregado as baterias. “A insônia pode ser transitória, ocorrendo apenas em uma fase da vida, ou crônica, durando muitos anos”, diz o psiquiatra.

O que é Alergia?

O que é Alergia?

O que é alergia, afinal? A alergia nada mais é que a resposta do organismo a substâncias estranhas, como pólem, insetos ou determinados alimentos. Este último tipo é conhecido como alergia alimentar.  Você provavelmente tem um conhecido ou viu algum filme em que o personagem não pode comer amendoim, por exemplo.

De acordo com a Dra. Cinara Sorice, alergologista da Clinipam, a alergia é hereditária.  “Geralmente quando um dos pais é alérgico, você tem 40% de chance de desenvolver a doença. Se tanto pai quanto a mãe forem, as chances aumentar para 80%”, disse.  A hereditariedade, portanto, é um dos fatores mais importantes no desenvolvimento das doenças alérgicas.

10 dicas para parar de fumar

10  dicas  para parar de fumar Você quer parar de fumar? Se sim, você está no caminho certo. Sabe por quê? Porque o cigarro mata mais do que o HIV, que os acidentes de trânsito e que o álcool. Para completar, ainda por cima diminui seu tempo de vida em 10 anos, segundo pesquisadores do St. Michael’s Hospital, localizado no Canadá.

Hoje, para te ajudar nessa luta, fizemos um post especial com dicas para parar de fumar.

1ª Dica

A primeira dica para parar de fumar é procurar um médico. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), os fumantes que tentam se livrar do tabagismo sem a ajuda de um profissional têm maior chance de fracassar.