Fumantes subestimam perigo do cigarro

parardefumar

Pesquisa realizada na França e divulgada durante a Conferência Europeia de Câncer de Pulmão (ELCC, na sigla em inglês), na Suíça, mostra um dado alarmante: os fumantes subestimam os perigos do cigarro, mesmo após diversas pesquisas apontarem que ele está relacionado com diversas doenças, inclusive vários tipos de câncer.

Para chegar a esse resultado, os pesquisadores entrevistaram 1.602 franceses, entre 40 e 75 anos. Um terço deles, por exemplo, acredita que fumar menos de 10 cigarros por dia não é danoso para o organismo. A pesquisa também apontou que apenas 40% deles estava ciente de que muitos do perigos do fumo ainda continuam mesmo após largar vício.

Aumento do cigarro eletrônico

Outro dado preocupante, este apontado pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês), mostra que o consumo de cigarros eletrônicos cresceu, principalmente entre os jovens, passando de 4,5% em 2013 para 13,4% em 2014.

O cigarro eletrônico é controverso. Enquanto alguns especialistas apontam benefícios, já que a pessoa só consome nicotina, e não os outros componentes cancerígenos, outros dizem que ele faz tanto mal quanto o normal.

Clinipam tem grupo de apoio ao fumante

A Clinipam, atenta aos perigos do cigarro, tem um programa de apoio aos fumantes em seu Centro de Qualidade de Vida (CQV). O intuito é promover e recuperar a saúde dos participantes, além de prevenir doenças provenientes do fumo, orientar e informar os malefícios do tabaco. Esse programa se dá por meio de um grupo de apoio que conta com uma equipe multidisciplinar atenta a todas as dificuldades que o fumante possa apresentar nessa fase de transição, oferecendo um cuidado global ao usuário.

Veja 9 dicas para parar de fumar

1ª Dica

A primeira dica para parar de fumar é procurar um médico. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), os fumantes que tentam se livrar do tabagismo sem a ajuda de um profissional têm maior chance de fracassar.

2ª Dica

O segundo método para parar de fumar é acreditar que você consegue. Analise sua vida, pense nas situações difíceis que você superou e arranje coragem para enfrentar mais esse desafio. Pedir a ajuda da família também é importante.

3ª Dica

Pare de uma vez! Pegue sua agenda, escolha uma data e escreva: vou parar de fumar nesse dia. Essa sugestão para parar de fumar cigarros envolve muito o psicológico e a força de vontade. Muita gente consegue se livrar do tabagismo dessa forma.

4ª dica

Caso a dica anterior não funcione, é possível tentar a parada gradual. Faça o seguinte: conte o número de cigarros que você fuma por dia e, no dia seguinte, fume menos. Outra maneira de diminuir o consumo é adiar em uma hora o primeiro cigarro do dia. Se você costuma fumr um às 8h, faça isso às 9h no dia seguinte.

5ª dica

A quinta dica para parar de fumar é a seguinte: faça exercícios físicos. “O fumante pode encontrar alguma dificuldade no início do treinamento. Mas, com o passar do tempo e os exercícios seguindo uma regularidade, a melhora da capacidade física vai ser percebida”, disse o professor de educação física Márcio Aldecoa em entrevista ao jornal Zero Hora.

6ª dica

Encontre outra pessoa tentando parar de fumar. Quando você conversa, além de trocar informações, você consola o outro. Palavras positivas, seja na luta contra o tabagismo ou em qualquer outra situação, sempre são bem-vindas e fazem muito bem.

7ª dica

Analise sua vida e veja que situações o levam a fumar. É o estresse? É o trânsito? Ou talvez a cervejinha de final de semana? O ideal é descobrir esses “gatilhos” e tentar evitá-los ao máximo.

8ª dica

A 8ª dica de como parar de fumar é a seguinte: jogue tudo que lembre o cigarro fora, como isqueiros, cinzeiros e fotos de você fumando em algum lugar e até roupas com cheiro. Algumas camisetas, mesmo depois de lavadas, ainda continuam com o cheiro. Mesmo se for uma peça com valor sentimental, jogue-a fora, caso contrário a lembrança pode trazer à tona a vontade.

9ª dica

Encontre algo para substituir o cigarro. De preferência, algo saudável, como, por exemplo, a água. Sempre que surgir a vontade de fumar, tome um copo.

 Veja também: Cigarro eletrônico versus cigarro comum

Excesso de peso cresce novamente no Brasil

comoprevenirobesidade

O número de pessoas acima do peso aumentou no Brasil, segundo pesquisa do Ministério da Saúde divulgada em abril deste ano. De acordo com os dados, 52,5% da população está com uns quilinhos a mais. Essa taxa é 23% mais alta do que a registrada nove anos atrás.

O sobrepeso é maior entre os homens (a taxa é de 56,5%). Já entre as mulheres o índice cai para 49,1%. Apesar do crescimento de número de pessoas com gordurinhas a mais, o índice de obesos (aquelas pessoas com índice de massa corporal maior do que 30) se manteve estável nos últimos três anos, atingindo 17,9% dos brasileiros.

Qual a diferença entre obesidade e sobrepeso

A obesidade e o sobrepeso se diferenciam pela quantidade de gordura acumulada no corpo. Para delimitar o que é um e o que é outro, a Organização Mundial da Saúde (OMS) utiliza um cálculo simples chamado IMC (Índice de Massa Corporal).

Segundo o entendimento médico, uma pessoa com sobrepeso é aquela está de 10% a 20% acima do seu peso, o representaria um IMC entre 25-30 Kg/m2. Já a obesidade é caracterizada quando o individuo está com peso corporal superior a 20%, o que é o equivalente a um IMC igual a 30 Kg/m2.

Como fazer o cálculo do IMC?

O cálculo do IMC é feito dividindo o peso (em quilogramas) pela altura (em metros) ao quadrado. Exemplo: se você tem 70 quilos e mede 1,50m, basta fazer a seguinte conta: 70 dividido por 1,50² = 31,11. Segundo a Organização Mundial da Saúde, uma pessoa com esse resultado teria obesidade número 1.

Veja tabela do Índice de Massa Corporal (IMC)

Resultado Situação
Abaixo de 17
Muito abaixo do peso
Entre 17 e 18,49
Abaixo do peso
Entre 18,5 e 24,99
Peso normal
Entre 25 e 29,99
Acima do peso
Entre 30 e 34,99 Obesidade I
Entre 35 e 39,99
Obesidade II (severa)
Acima de 40 Obesidade III (mórbida)

 

 

Como prevenir a obesidade

A melhor forma de manter o peso ideal é praticar exercícios físicos e ter uma dieta equilibrada, sem exagero. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), bastam 150 minutos semanais de atividades para manter o corpo saudável. Seriam apenas 21 minutos por dia.

Já no quesito alimentação, o que falta, pelo menos no Brasil, é o equilíbrio alimentar (o consumo adequado de nutrientes, vitaminas e minerais). Segundo a o Ministério da Saúde, apenas um em cada quatro brasileiros come a quantidade recomendada diária de salada, por exemplo, que é de 400 gramas por dia, conforme recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Muitos ainda comem muita carne, o que, segundo o Guia Alimentar para a População Brasileira, “pode apresentar elevada quantidade de calorias por grama e teor excessivo de gorduras não saudáveis (chamadas gorduras saturadas), características que podem favorecer o risco de obesidade, de doenças do coração e de outras doenças crônicas.”.

Qual a cidade brasileira com mais pessoas obesas?

No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, São Luís (MA) é a região que apresenta o menor índice de excesso de peso (46%). Já Manaus (AM), Porto Velho (RO) e Fortaleza (CE) estão no oposto da lista e lideram o ranking, com 56% da população com sobrepeso. Já Florianópolis (SC) destaca-se como a capital com menor índice de obesidade (14%). Na contração, Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, é a capital com o maior índice.

Brasil é o terceiro do Brics

O Brasil, na comparação com os países integrantes do Brics – bloco econômico com países emergentes –, fica em terceiro lugar no ranking de obesidade. Nos primeiros lugares estão África do Sul e Rússia, com 65,4% e 59,8%, respectivamente.

Clinipam tem grupo de apoio aos interessados em perder peso

O CQV – Centro de Qualidade de Vida Clinipam – possui um grupo exclusivo para obesos/sobrepeso ou interessados em perder peso. Para participar do grupo, o beneficiário passa por uma entrevista com uma psicóloga e depois ingressa em um “curso” de três meses de duração. Veja mais informações abaixo:
porcaosaudavel_opção logo

Comer muita carne faz mal

comermuitacarne

Pesquisa do Ministério da Saúde divulgada nesta semana, mostrando que o consumo de refrigerante no Brasil caiu 20% em seis anos, deixou profissionais da saúde felizes. No entanto, o estudo apresenta outro dado, este preocupante: quase 30% da população come carne em excesso.

O problema de se comer carne em excesso é a proteína. Exagerar no consumo de alimentos ricos nessa substância pode aumentar em quatro vezes os ricos de câncer, segundo pesquisa feita pela Universidade do Sul da Califórnia. Sabe o que isso significa? Que o risco é semelhante ao dos fumantes.

O próprio Guia Alimentar para a População Brasileira, lançado no final de ano passado, recomenda restrições quando ao consumo excessivo de carne: “Alimentos de origem animal são boas fontes de proteínas e da maioria das vitaminas e minerais de que necessitamos, mas não contêm fibra e podem apresentar elevada quantidade de calorias por grama e teor excessivo de gorduras não saudáveis (chamadas gorduras saturadas), características que podem favorecer o risco de obesidade, de doenças do coração e de outras doenças crônicas.”

 

Equilíbrio

Mas não pense que a carne é uma vilã, ok? Nela há gorduras saturadas, ferro e vitaminas essenciais para o corpo, que participam do metabolismo de hormônios. O negócio é comê-la de forma equilibrada.

 

Falta verde no prato

A pesquisa do Ministério da Saúde também diz que “tá” faltando salada no prato do brasileiro. Apenas um em cada quatro come a quantidade recomendada diária, que é de 400 gramas por dia, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Em compensação, a população ama feijão. Pouco mais de 65% come a leguminosa, porcentagem que se mantém estável nos últimos anos.

 

Obesidade

Ter uma alimentação saudável deve fazer parte das prioridades do brasileiro. Isso porque 50% da população tem sobrepeso e 17% é obesa. Estar muito acima do peso, segundo organização britânica Cancer Research UK, aumenta em até 40% as chances de se desenvolver câncer e outras doenças.

Feliz Páscoa

pascoa

A equipe da Clinipam deseja a todos os leitores do blog uma Feliz Páscoa. Que durante esse período vocês renovem o sentimento de amor, fraternidade e compaixão. A Páscoa, apesar de todo o chocolate, tem como mensagem principal paz, esperança e amor, e é isso que queremos para o mundo.

Albert Einstein, um dos maiores gênios da ciência, disse que “algumas coisas são explicadas pela ciência, outras pela fé”. A Páscoa, segundo ele, “é mais do que uma data, é mais do que ciência, é mais que fé, Páscoa é amor”. Concordamos com ele.

Nesse período, fique perto da família. O escritor Leon Tolstoi disse que “a verdadeira felicidade está na própria casa, entre as alegrias da família”. Estar ao redor de quem se ama é a melhor forma de se sentir bem, energizado e revigorado. É o verdadeiro combustível da vida.

A Páscoa também é momento de pensar em renovação. Veja os obstáculos do passado como aprendizado e olhe para o futuro, sem se deixar levar pela ansiedade do imprevisto. Todos os dias renascemos para a vida.

O significado da Páscoa

Tradição cristã

Os cristãos celebram a paixão, a morte e a ressurreição de Jesus Cristo. É, portanto, uma das datas mais importantes para eles.

Tradição Judaica

Para os judeus, a Páscoa é a festa da liberdade, uma referência ao profeta Moisés, que libertou os judeus da escravidão há mais de três mil anos.

Como não exagerar na Páscoa

A Páscoa também é sinônimo de chocolate. Mas, se você está de dieta ou quer emagrecer, é bom não exagerar. Falamos sobre isso no post Como não exagerar na Páscoa.