A importância do pré-natal

pre-natal

Afinal, o que é o pré-natal? Hoje, aqui no blog da Clinipam, vamos falar sobre esse importante processo pelo qual toda futura mamãe deve passar.

O pré-natal é o acompanhamento médico que ocorre durante a gravidez. Com base nele, é possível detectar possíveis doenças tanto no bebê como na mamãe. Algumas delas, por exemplo, são a diabetes gestacional e a pré-eclampsia.

Quando devo iniciar o pré-natal?

Alguns médicos dizem que o pré-natal deve ser iniciado logo após a descoberta da gravidez. Outros, porém, acham que deve-se começar antes mesmo da gestação. Um dos profissionais de saúde que defendem essa ideia é o Dr. Sérgio Peixoto, Professor Associado Livre-docente de Obstetrícia e Ginecologia da Faculdade de Medicina da USP.

Segundo ele, a gravidez é de 12 meses e não de 9. “Quando decidimos fazer uma viagem longa, nos planejamos. Procuramos um consultor, escolhemos o roteiro e cuidamos de todos os preparativos. Tudo isso para minimizar os riscos de qualquer problema e poder curtir a viagem. Com a gravidez é a mesma coisa: a concepção planejada pode trazer benefícios à saúde da mãe e do feto”, disse ao Portal Guia do Bebê.

Quais exames são feitos no pré-natal?

Durante o pré-natal diversos exames são feitos. O de “gliecemia” avalia se a futura mãe tem glicemia. O “fator RH” detecta se o sangue do bebê é compatível com o da mulher. O anti-HIV, como o próprio nome já diz, avalia se a paciente é soropositiva. Além dos exames de pré-natal citados acima, há ainda exames para detectar hepatite B,toxoplasmose, sífilis, rubéola e exames de urina e ultrassonagrafias.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda às gestantes pelo menos seis consultas durante o pré-natal. Esse é o mínino exigido. No geral, é o médico quem vai decidir qual o melhor tratamento para cada tipo de mulher.

Veja também: Cuidados na Gravidez