A ingestão de suplementos vitamínicos pode fazer mal à saúde

 

vitaminas-clinipam-plano-de-saude-em-curitiba-

 

Investir em uma alimentação equilibrada é suficiente para suprir as necessidades diárias de vitaminas das pessoas. Ainda assim, muita gente investe nos polivitamínicos, suplementos que prometem mais disposição e proteção contra doenças. O que muitos não sabem é que esses complexos vitamínicos só devem ser usados com orientação médica. Hoje, a Clinipam vai te mostrar que você não precisa deles para viver bem.

Para começar, você sabia que todas as doses de vitaminas hidrossolúveis ingeridas a mais são eliminadas pelo organismo? Já as lipossolúveis, quando em excesso, são armazenadas em parte do organismo para serem usadas quando há falta delas. Segundo o pediatra americano Paul A. Offit em seu livro ‘Do You Believe in Magic’ (Você acredita em mágica?), a suplementação de vitaminas não é justificada. “Se não há indicação médica, você não está fazendo nada além de produzir uma urina mais cara”.

Entre os riscos do consumo excessivo de vitaminas estão desde o surgimento de pedras nos rins até um aumento nos índices de mortalidade. Um estudo analisou a ingestão de vitaminas A, C, E e betacaroteno para prevenir cânceres intestinais e se concluiu que elas não tiveram nenhuma função protetora. O que é preciso ficar claro é que tudo em exagero se torna prejudicial.

Outra consequência do uso das pílulas é o risco de hipervitaminose, ou envenenamento por vitamina, e também a possibilidade de desenvolvimento de câncer ou doenças cardíacas. Em 2007, o Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos fez um estudo com 11.000 homens e foi observado que os que tomavam multivitamínicos tinham duas vezes mais chances de morrer de câncer de próstata.

Por outro lado, há casos em que o uso de complexos vitamínicos é indicado por médico. Entre eles, estão pessoas com dieta vegana, que precisam repor vitamina B12; gestantes, que devem atentar à suplementação de ácido fólico; recém-nascidos que não tomam sol e precisam de reposição de vitamina D; além de atletas com carga pesada de treinamento, que precisam de uma avaliação médica para analisar a necessidade de complemento com vitaminas, já que apresentam um metabolismo mais acelerado.