Alergias aumentam com a chegada do inverno

06alergiaeinvern

Fungadas, nariz trancado, coriza. Três palavras que acompanham todo alérgico e que, com a chegada dos dias frios, transformam as alergias em um verdadeiro consumo desenfreado de lenços de papel.

Funcionando como resposta do sistema imunológico a micro-organismos e partículas chamados aeroalérgenos (como ácaros, mofo e pólen), as alergias mais comuns são a bronquite – inflamação das principais passagens de ar para os pulmões -, a asma – doença inflamatória crônica das vias aéreas – e a rinite – reação imunológica do corpo a partículas inaladas que são consideradas estranhas.

De acordo com a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai), 30% da população brasileira sofre com alguma dessas três enfermidades.

OS INIMIGOS DO NARIZ NO INVERNO

Durante o inverno, três fatores potencializam a ação dos agentes alérgicos:

– O ar seco: ele colabora para a inflamação da mucosa, desencadeando crises.

– A poluição: durante a estação mais fria do ano, gases como monóxido de carbono, enxofre e metano ficam na superfície da Terra graças a um fenômeno chamado inversão térmica. Ela impede o ar frio de subir, do mesmo jeito como acontece no verão. No entanto, o ar frio é mais denso e acaba retendo mais poluentes.

– Ambientes fechados: quem sofre de rinite não pode ficar fechado em casas com tapetes e cortinas demais.

DICAS PARA SE LIVRAR DO ÁCARO

– Lave as roupas de inverno antes de usá-las.

– Evite perfumes e produtos com cheiro muito forte dentro de casa.

– Limpe bem a casa em cada um dos cômodos.

– Forre colchão, sofá e travesseiros com capas antialérgicas.

– Dê banho em seus animais de estimação toda semana e não os deixe dormir junto na sua cama.

– Evite deixar o ar condicionado quente demais, para evitar mudanças bruscas de temperatura.

– Retire os bichos de pelúcia de perto das crianças que tem alergia.

– Abra as janelas, o ar precisa circular dentro de casa.

– Procure umidificar os ambientes colocando bacias de água e usando purificadores.

Veja também: As doenças mais comuns no inverno