Atividades físicas estão diretamente ligadas à saúde, especialmente entre os idosos

exercicio-faz-bem-ao-cerebroO estresse e a correria do dia a dia podem desencadear ansiedade e medo, que além de afetar o sistema cardiorrespiratório, a pressão arterial e o funcionamento gastrointestinal, podem causar depressão e processos degenerativos. Como consequência, a memória pode ser prejudicada.

Mas a solução é simples, embora exija mudanças de hábito.

Cada vez mais estudos apontam que a prática de atividade física é essencial para o bem-estar do corpo e da mente. Além de auxiliar a circulação sanguínea, a oxigenação dos tecidos, acelerar o metabolismo e diminuir o estresse, manter uma rotina de atividades físicas pode prevenir e até retardar a evolução de doenças neurodegenerativas, como o mal de Parkinson e o Alzheimer.

A prática de exercícios proporciona uma série de fatores que promovem o bem-estar, como conhecer novas pessoas e contemplar a natureza. Por isso, a decisão de levar a vida de forma mais saudável influencia até mesmo a melhora da autoestima.

Além disso, as atividades físicas ajudam a manter o corpo em forma e são importantes para todas as idades, sendo ainda mais essenciais para pessoas na terceira idade, uma vez que combatem diversos problemas de saúde e ainda melhoram a memória. E não podemos esquecer que, com o ganho da força muscular e da flexibilidade, o idoso consegue mais independência social.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), nas próximas décadas a população de idosos no mundo dará um salto. Atualmente existem 841 milhões de pessoas com mais de 60 anos, mas até 2050 chegaremos a 2 bilhões de indivíduos na terceira idade.

As atividades físicas mais recomendadas para idosos

Natação: aumenta a disposição no dia a dia, melhora a musculatura do abdômen e do assoalho pélvico, diminuindo a incontinência urinária. Além disso, ajuda na realização de atividades simples que antes eram difíceis, como varrer um cômodo da casa.

Pilates: aumenta a força, a flexibilidade e o controle muscular, melhora a capacidade respiratória, corrige a postura, fortalece os músculos, previne lesões, aumenta a autoestima e diminui as dores musculares.

Musculação: diminui as dores causadas pela artrose nos joelhos, ajuda no tratamento contra artrose, osteoporose e insuficiência cardíaca, auxilia na flexibilidade e nas atividades diárias e ainda fortalece a musculatura (perdida após os 50 anos).

Dança: a música, as mãos dadas e o balançar rítmico dos corpos geram sentimentos positivos de carinho, paz e amizade. Durante as aulas, os bloqueios emocionais diminuem, facilitando a interação biopsicossocial. Além disso, a atividade minimiza a depressão e a pressão alta, a ponto de diminuir a medicação usada para o tratamento.

Veja também: meditação mantém cérebro jovem

Hidroginástica: além de causar pouco impacto, pois é realizada na água, a atividade melhora o sistema cardiorrespiratório e cardiovascular, diminui a gordura corporal, aumenta a massa muscular e a autoestima, melhora a insônia, a coordenação motora, a força muscular e diminui a necessidade de medicamentos.

Embora essas sejam, genericamente, atividades adequadas para pessoas acima de 60 anos, é obrigatória uma consulta com um profissional para adequá-las de acordo com as capacidades de cada pessoa.