Como se prevenir das doenças circulatórias?

Como se prevenir das doenças circulatórias?

No post anterior falamos que as doenças circulatórias são as que mais matam no Brasil e no mundo, segundo o IBGE e a OMS, respectivamente. Hoje, dando continuidade ao assunto, vamos mostrar como se prevenir das doenças circulatórias e como funciona o tratamento.

Segundo a Dra. Alessandra, Cirurgiã Vascular da rede médica Clinipam, o primeiro sinal clínico de uma pessoa com doença circulatória é a morte. Por isso, a prevenção é a melhor escolha para fugir das estatísticas da OMS e do IBGE. E, nesse caso especifico, a prevenção tem um nome: hábitos saudáveis. É ideal fazer o controle do colesterol, da pressão arterial e do diabates.

Além disso, disse a Alessandra, é preciso acabar com o tabagismo. “Sabe-se hoje em dia que o cigarro tem um poder importante na agregação de gordura nas arterias. O monóxido de carbono inalado junto com a nicotina predispõe a que essas gorduras da corrente sanguínia grudem na parede dessa artéria formando a placa de ateroma”, cita.

Os exercícios físicos também entram na lista de hábitos saudáveis que ajudam a prevenir as doenças do sistema circulatório. A atividade bem orientada promove o controle da hipertesão arterial, baixa o nível de glicemia, controla o colesterol e ajuda até na diminuição de vícios, como o perigoso cigarro.

As doenças circulatorias são hereditárias?

Sim. As doenças circulatórias são hereditárias na maioria das vezes. Elas podem ser de geração em geração ou pular alguma. Por isso, é improtante analisar o histórico na família e perguntar se houve algum caso de infarto, amputação, derrame, AVC, infarto agudo do miocárdio etc.

Doenças circulatórias – tratamento

O tratamento varia de pessoa para pessoa. O primeiro passo é fazer uma análise do paciente. Casos leves, segundo a Dra. Alessandra, têm tratamentos farmacológicos. Além disso, o médico estimula o paciente a largar hábitos que colaboram para o desenvolvimento da doença, como, por exemplo, o sedentarismo e o tabagismo.

Se o paciente não demonstrar melhora com isso, a cirgurgia é indicada. Algumas das mais conhecidas são a revascularização, a ponte de safena, o uso de prótese e até cirurgia endovascular.

Procure um médico e converse com ele sobre doenças circulatórias. Compartilhe esta informação e ajude a diminuir as estásticas!

Veja também: Conheça o Centro de Qualidade de Vida