Conheça os tipos de chocolates

tiposdechocolates

Crédito: http://www.luxetravel.com

A data mais gostosa do ano está chegando. O blog da Clinipam preparou uma lista com os tipos de chocolates, mostrando quais fazem bem à saúde e quais não fazem tão bem assim. Na hora de fazer as compras, leve em consideração as informações abaixo.

Chocolate amargo (mínimo 70% cacau): o chocolate amargo tem grande quantidade de cacau, alimento que tem a maior concentração de antioxidantes, que são basicamente os “defensores” do nosso organismo. Segundo pesquisa feita pela Universidade de Columbia (EUA), o cacau controla a deterioração cognitiva (em outras palavras, a perda de memória). Outros estudos, feitos anteriormente, mostram que ele é capaz de diminuir doenças cardiovasculares e até alguns tipos de câncer. O amargo, portanto, é o tipo de chocolate que mais promove benefícios à saúde. Lembrando que quanto mais cacau tiver o chocolate, mais saudável ele é.

Chocolate ao leite: é composto por massa e manteiga de cacau, leite, leite em pó ou leite condensado e açúcar. Por volta de 12% de sua composição é de leite e açúcar, e é que aí “mora” o problema desse tipo de chocolate. Grandes quantidades desses dois elementos, se consumidas em excesso, aumentam as chances de engordar e de desenvolver problemas de saúde, como a obesidade e a diabetes.

Chocolate branco: o chocolate branco, além de ser o mais calórico entre todos os tipos de chocolates, na verdade não é um chocolate. Na receita dele não entra pasta de cacau, como nos outros, mas sim a gordura que sai quando o fruto é prensado. É como se fosse a goibada de banana, que de goiaba não tem nada.

Chocolate com oleaginosas: Outro tipo de chocolate bem conhecido dos apaixonados pelo doce é o com oleaginosas (nozes, amêndoas, castanhas e outras). É possível encontrar opções com chocolate amargo, ao leite ou branco. A mais saudável é a amarga. As oleaginosas presentes também fazem bem à saúde. As nozes, por exemplo, têm ação do ômega-3, da vitamina e aminoácidos. As castanhas previnem doenças degenarivas e neurológicas e ainda ajuda o funcionamento da tireoide. Já a as amêndoas têm muitos benefícios por causa da quantidade de antioxidantes presente nelas. Pouco mais de 30 gramas de amêndoa fornece 45% de Vitamina E e 17,6% de vitamina B2 de RDA todo o dia, por exemplo. Além disso, ela também previne alguns tipos de câncer, beneficia os ossos, por causa da presença do cálcio, e também faz bem para a pele.
Chocolate Diet: é um tipo de chocolate sem açúcar, indicado para pessoas com diabetes. No entanto, a quantidade de gorduras adicionadas muitas vezes é maior ou equivalente à colocada em chocolates “normais”, como o chocolate ao leite. Por isso, ele deve ser consumido por cautela. Em sua composição, há massa e manteiga de cacau, leite em pó e soro do leite.

Chocolate light: No chocolate light, diferente do diet, ainda tem açúcar. Portanto, eles não são indicados para os diabéticos. Os fabricantes geralmente reduzem em 25% a quantidade de açúcar. Como eles conseguem isso? Geralmente tirando algum nutriente energético da receita. Para saber qual foi retirado, é recomendado verificar o rótulo do produto. De qualquer forma, é uma opção mais saudável do que o tipo de chocolate ao leite.

Chocolate zero: o tipo chocolate zero pode significar que ele não tem açúcar, não tem gordura ou não tem lactose. Para saber exatamente qual componente não está presente nele, é preciso verificar o rótulo. Se não tiver açúcar, ele pode ser consumido por diabéticos. Lembrando, no entanto, que a quantidade de calorias ainda é a mesma do que outros tipos de chocolates calóricos.

Chocolate sem lactose: esses tipos de chocolates são feitos para os intolarens à lactose e para os veganos ou vegetarianos que não consomem nada de origem animal. Geralmente, nos chocolates sem lactose o leite é substituito por leite de soja ou outro tio de composto. Caso você seja intolerante à lactose, e importante verificar no rótulo a presença do carboidrato, pois, como no caso do chocolate sem gluten, ele pode sofrer contaminação cruzada.

Chocolate sem glúten: geralmente os chocolates são sem glúten, mas, como alguns são feitos nas mesmas máquinas utilizadas para o fabrico de outros produtos (estes com glúten), então os chocolates podem sofrer uma “contaminação cruzada”. É importante verificar no rotulo se há a presença dessa proteína na composição desse tipo de guloseima.

 

Chocolate a base de soja: o chocolate de soja também é indicado para veganos/vegetarianos ou quem é intolerante à lactose. Em vez de leite, se usa proteína extrato de soja 100% vegetal. Alguns ainda são isentos de açúcar e podem ser consumidos por pessoas que têm diabetes.