Depressão: Mitos e Verdades

Definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como a principal causa de incapacidade em todo o mundo, a depressão atinge cerca de 350 milhões de pessoas de todas as idades no planeta. Contudo, a situação ainda é pouco conhecida entre as pessoas e é tida como um tabu.

Confira alguns mitos e verdades que ajudam a esclarecer melhor esta doença:

MITO: Todos os sintomas da depressão são mentais

Apesar da maioria dos sintomas serem associados com emoções e tensões mentais, a doença se manifesta com frequência no corpo todo. Alguns sintomas comuns incluem dificuldade em respirar, indigestão, aperto no peito, cansaço e até mesmo dores musculares persistentes.

VERDADE: Existem diferentes níveis da doença

Existem variações da doença que vão desde algo quase imperceptível até formas graves que ameaçam a vida, como quando a pessoa não se alimenta, fica permanentemente sentada sem se movimentar ou mesmo tenta tirar a própria vida. Por isso é importante reforçar a necessidade de tratar-se o quanto antes e levar o problema a sério.

hospital-onix-clinipam

MITO: Quem é diagnosticado com depressão usará antidepressivos a vida toda.

É comum o medo das pessoas em terem uma dependência com antidepressivos. No entanto, a maioria das pessoas diagnosticadas com depressão recebe tratamento por um período específico, variando de acordo com cada situação. Por isso, o tempo pode variar, mas diversas pesquisas sugerem que a maioria das pessoas consegue tratar a depressão em menos de 24 semanas, com a ajuda de psicoterapia e, se necessário, medicamentos.

Uma curiosidade é que cerca de 40% das pessoas que recebem medicamentos não experimentam nenhum benefício. Por isso que o tratamento varia para cada paciente.

Alguns reagem melhor à psicoterapia, outros, com a combinação de medicação e terapia, e assim por diante.

MITO: Pra curar a depressão só precisa ter força de vontade

A depressão não é apenas um estado de espírito, sendo resultado também de alterações químicas que ocorrem no corpo. Por isso, uma atitude positiva não necessariamente irá ajudar a recuperar outras condições médicas. O ideal é aceitar que a depressão existe e procurar ajuda médica. Não esconda os sintomas desta perigosa doença.

Veja também: Tristeza não é depressão. Entenda as diferenças

VERDADE: Atualmente as pessoas são mais depressivas

Estudos epidemiológicos indicam que a depressão vem aumentando com o tempo. Contudo, as pessoas também têm mais acesso a informações do que no passado, facilitando o diagnóstico e a cura da doença.

 

Por fim, é importante reforçar que cerca de 80% das pessoas diagnosticadas com depressão clínica, com o tratamento adequado, se recuperam.  O principal é reconhecer e diagnosticar o problema o quanto antes, garantindo assim uma recuperação saudável.