Entenda o que é o bico de papagaio e saiba como se prevenir

dor-na-coluna-bico-de-papagaio-vertebral-plano-de-saude-em-curitiba

A osteofitose, conhecida como bico de papagaio, é uma forma de manifestação da artrose na coluna vertebral. Ela é caracterizada pelo crescimento anormal do tecido ósseo em torno de uma articulação das vértebras, então, o disco intervertebral, que deveria funcionar como amortecedor entre os ossos, não consegue cumprir essa função, que fica comprometida. Para evitar que esse mal apareça, veja as informações que a Clinipam preparou para você prevenir o bico de papagaio.

O desgaste natural das articulações ao longo do tempo propicia o aparecimento do problema, que surge como consequência da desidratação do disco intervertebral. Os osteófitos, na verdade, são como uma defesa do organismo, que busca absorver a sobrecarga sobre as articulações e estabilizar a coluna vertebral. Diagnosticar a osteofitose só é possível quando há calcificação nas cartilagens que envolvem as vértebras e os ligamentos.

Além do desgaste do tempo, o problema pode ser hereditário. Entre outras causas comuns para o surgimento do bico-de-papagaio estão a má postura, a obesidade e o sedentarismo. Perda da força muscular, da sensibilidade e dos reflexos, dor forte e limitação dos movimentos são alguns dos sintomas mais comuns. Em alguns casos, há também a sensação de formigamento.

A boa notícia é que há como evitar o bico de papagaio. A principal dica é cuidar com a postura incorreta e redobrar a atenção nas atividades cotidianas, evitando forçar e sobrecarregar a coluna. Além disso, é importante manter o peso corporal em níveis saudáveis e apostar na prática de atividades físicas. Prefira exercícios que fortaleçam a musculatura abdominal e da coluna e os aeróbicos como bicicleta, natação, hidroginástica e alongamento, que, por serem de baixo impacto, não forçam as articulações.

Não há tratamento para a osteofitose porque o desgaste que o disco intervertebral sofre é irreversível. Somente é possível aliviar a dor com analgésicos e anti-inflamatórios.  Em casos mais graves, em que há desalinhamento progressivo da coluna ou algum distúrbio neurológico, há possibilidade de intervenção cirúrgica. Portanto, prevenir precocemente é o caminho para evitar o bico de papagaio e não sofrer as consequências mais tarde.