O que é a endometriose?

O que é a endometriose?

Você já ouviu falar da endometriose? A doença, caracterizada pelo acúmulo de  sangue menstrual fora do útero,  atinge de 5% a 15% das mulheres no período reprodutivo e de 3% a 5% após a menopausa, segundo dados do  Setor de Endometriose do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

 Como ocorre a endometriose?

No útero da mulher existe uma membrana chamada endométrio.  Quando a mulher está na fase fértil, essa membrana fica mais espessa, aguardando a vinda do bebê. Se a mulher não engravida, ocorre a menstrução, como de costume.  A endometriose acontece quando o sangue não é totalmente eliminado, invadindo outros órgãos próximos ao útero, tais como intestino e bexiga. Nesse sangue, segundo o Dr. Roberto Cattini Maluf Filho, da Rede Clinipam, há “presença de tecido semelhante à mucosa uterina”.

Quais os sintomas da endometriose?

Os principais sintomas, de acordo o Dr. Maluf Filho, são cólica menstrual, dor abdominal, dor no ato sexual e inchaço. “Eventualmente, se atingirem intestino ou bexiga, a mulher também pode ter sintomas relacionados a esses órgãos, como alteração para evacuar e dor”, complementa.

A forma mais grave da doença é a endometriose profunda, que ocorre quando o tecido semelhante à mucosa endometrial (aquele expelido junto com o sangue da menstruação) “invade” mais de 5 mm o tecido acometido. Não se sabe ao certo como a endometriose profunda se desenvolve, mas há algumas teorias. Fatores genéticos e até ambientas podem influenciar.

Quais exames são feitos para identificar a endometriose?

O diagnóstico da endometriose é feito, inicialmente, por meio de conversas e exames físicos, atividades rotineiras em um consultório médico. Mas, podem ser necessários exames complementares, tais como a ultrassonografia transvaginal e a ressonância magnética.

Qual é o tratamento para endometriose? 

O tratamento da endometriose deve levar em consideração os sintomas da paciente. Em alguns casos usa-se contraceptivos hormonais, em outros é necessária a utilização da videolaparoscopia, técnica cirúrgica realizada por auxílio de uma endocâmera; e também há a possibilidade de uso de medicamentos. Alguns deles, segundo Dr. Maluf Filho, são “os análogos do GNRH, Mirena, que parece reduzir bem as dores, e um mais recentemente lançado chamado Allurene que já está em uso, mas há pouca experiência e poucos estudos.”

No mundo, de acordo com a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, 70 milhões de mulheres têm a endometriose. Só no Brasil, segundo o Sistema Único de Saúde, são 6 milhões. A endometriose pode causar infertilidade, dores e outros sintomas desagradáveis, mas ela tem cura. Se você estiver com os sintomas, procure um profissional de saúde para te auxilar.

Palestra sobre endometriose

No dia 6 de março, às 17h, o Dr. Dr. Maluf Filho fará palestra sobre a endometriose na Rua XV de Novembro, 556, 1º andar – Galeria Lustosa, no centro de Curitiba. O evento faz parte das atividades do Centro de Qualidade de Vida da Clinipam. As palestras são gratuitas para usuários da Clinipam.

Veja cronograma de palestras!

Compartilhe este texto e mais saúde para você!