Parto natural ou cesariana?

parto-normal-ou-cesarianaDe acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) a taxa de partos por cesariana deve ser de, no máximo, 15%. No Brasil, a média é de 52,2%, segundo dados do Sistema de Informações de Nascidos Vivos (SINASC) , fazendo do país o campeão mundial em cesárias.

A cesariana é um procedimento cirúrgico indicado apenas nos casos em que o parto natural oferece riscos para a mãe ou para o bebê. No entanto, muitas mulheres passaram a optar por ele para evitar as dores do parto normal, o trauma que pode ser ocasionado pelo processo e o medo da episiotomia (uma pequena incisão de 4 cm no períneo feita em alguns casos para facilitar a passagem do bebê). Além disso, o parto pela cesariana é realizado em muito menos tempo do que o normal, mas tem uma recuperação muito mais lenta.

Já o parto normal, além de possuir uma rápida recuperação, proporciona uma relação mais natural entre mãe e filho durante o processo.  No entanto, se a mãe sentir dores demais, pode haver arrependimento da escolha pelo parto natural, que pode culminar numa relação difícil com a criança. Há também a possibilidade de a demora de um parto natural (pode levar de 4 a 8 horas) traumatizar o bebê. Em todos esses casos de risco, o acompanhamento médico durante o pré-natal pode ajudar a desvendar qual é a melhor opção para as mamães de primeira viagem.

Um dos medos mais recorrentes de muitas mulheres é o relaxamento da musculatura pélvica durante o parto natural permanecer e prejudicar as relações sexuais, mas isso não acontece.

Com as atuais tecnologias, tanto para o acompanhamento pré-natal quanto para a cirurgia cesariana, e as anestesias para um saudável parto normal, a opção hoje em dia fica mesmo diante da mãe. Mas é importante que ela não faça escolhas baseadas em conhecimentos infundados ou medos. Recorra a um bom médico e a uma boa clínica e certamente você saberá qual é a melhor opção para o seu caso.