Prevenção no recém-nascido: Teste da Orelhinha

 

Prevenção no recém-nascido: Teste da Orelhinha

 

Bebês não falam, mas eles interagem com os adultos direcionando o olhar quando ouvem sons. Por isso, é muito importante fazer o teste da orelhinha já nos primeiros dias de vida, pois com ele é possível detectar se há problemas auditivos no recém-nascido ou uma tendência a tê-los. Hoje, no blog da Clinipam, você conhece um pouco mais sobre esse teste e sua importância.

Desde agosto de 2010 o teste da orelhinha é obrigatório por lei, devendo ser feito entre as primeiras 48h até, no máximo, os 3 meses de vida. Além do fator genético, há vários outros que podem desencadear a perda auditiva, entre eles, a perda de oxigênio durante o parto e até mesmo o uso de antibióticos.

De acordo com especialistas a melhor maneira de prevenir doenças auditivas é descobrir o problema o quanto antes. Se fizer um diagnóstico precoce antes dos seis meses, a criança pode ter uma intervenção precoce, um tratamento precoce, através de implante coclear ou outras técnicas, e ela pode ter uma vida normal. Já se o diagnóstico não for feito o quanto antes, a descoberta só vem lá pelos cinco anos de idade, ou seja, já torna-se tarde e a criança já perdeu muito tempo de aprendizado.

O teste da orelhinha é uma triagem auditiva neonatal universal. Como ele é obrigatório, os pais têm o direito de exigir em todas as maternidades quando seu filho nasce, assim como é feito o teste do pezinho. O teste é muito simples, indolor e feito durante o sono da criança. O médico introduz uma sonda, que se parece com um pequeno fone, no ouvido externo do bebê. Ela emite sons quase imperceptíveis, que serão captados por um aparelho que verifica se há perda auditiva e de qual grau é: total, moderado, leve ou ausente.

Durante a infância, é importante ficar atento a tudo que possa ser prejudicial à criança. Isso porque, nessa fase, a orelha interna dos pequenos é muito imatura. Brinquedos que emitem sons, por exemplo, devem ter suas especificações verificadas para não causar problemas no longo prazo.

Tire suas duvidas sobre os principais cuidados que devemos ter com a audição no vídeo abaixo, da TV Clinipam