Protetor no Inverno

Por mais que alguns não acreditem, os raios UV também aparecem durante os climas frios do ano, quando o sol resolve se esconder, especialmente aqui em Curitiba e Região Metropolitana!

Durante o verão os raios UVB (responsáveis pela sensação de ardência e vermelhidão) são mais comuns devido ao efeito ser rapidamente perceptível. Porém, durante o inverno os raios UVA continuam incidindo com a mesma intensidade em nossas peles. A diferença é que o seu efeito é cumulativo e atinge as camadas mais profundas da pele, fazendo com que suas consequências demorem mais para aparecerem. Isso pode ser evitado se o protetor solar for utilizado com mais frequência.

Umas das consequências dos raios UVA em nossa pele são: aparecimento de rugas, manchas, flacidez, envelhecimento precoce e predisposição à alergias e surgimento do câncer de pele.

Para o dia a dia produtos com o FPS 30 são suficientes para proteger, segundo a dermatologista Danielle Aguiar em entrevista para o Beleza Extraordinária.

Além disso, as fórmulas cremosas dos filtros solares são ótimas para hidratação, visto que no frio o ressecamento da pele é bastante comum.

É válido lembrar que apesar do sol trazer grandes benefícios para a saúde, ele precisa ser aproveitado com moderação e cuidado para que problemas futuros não aconteçam. Os produtos modernos, além de protegerem nossa pele de radiações nocivas, deixam infiltrar os raios responsáveis por um bronzeado bonito e uma pele mais saudável.

Entenda a diferença:
Raios UVA (atingem a camada subcutânea): penetram nas camadas mais profundas da pele sem deixar marcas, causando envelhecimento precoce e o melanoma, um tipo agressivo de câncer.

Raios UVB (atingem a derme): provocam a vermelhidão e as queimaduras solares. Além disso, estão diretamente relacionados ao câncer de pele não melanoma, o mais comum dos tumores nesse tecido.