Quais são as causas da surdez?

Quais são as causas da surdez?

Você por acaso escuta com frequência um zumbidinho estranho próximo ao ouvido? Cuidado, você pode estar com problemas de audição. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existem mais de 5 milhões de pessoas com deficiência auditiva no Brasil. Hoje o blog da Clinipam vai abordar os cuidados com a audição e as causas da surdez.

A perda de audição pode ser causada por diversos fatores. Existem as pessoas que têm uma predisposição genética; outras desenvolvem a surdez por conta de doenças tóxicas durante a gestão, tais como a sífilis; e, ainda, a perda auditiva pode ser decorrente da ingestão de medicamentos e exposição a sons muito pesados.

De acordo com o otorrinolaringologista da Rede Clinipam, Rogerio Hamerschmidt, há dois tipos de problemas com a audição: a perda auditiva condutiva e a perda de audição neurossensorial.”A auditiva condutiva é caracterizada por problemas no canal do ouvido, nos tímpanos e nos ossinhos: martelo, bigorna e estribo”.

Outra forma de perda auditiva condutiva é a obstrução do canal do ouvido pelo acúmulo de cera. Quando isso ocorre, forma-se um verdadeiro tampão. Para tirá-lo, é necessário ir ao médico, que geralmente faz lavagens, amolece e utiliza outras técnicas de remoção. É válido lembrar que a cera é importante, pois é uma proteção contra a água e os microrganismos indesejados. O problema é a quantidade exagerada.

Perda de audição neurossensorial

O segundo grupo de perda de audição é chamado neurossensorial. Para entender, basta você pensar o seguinte: quando o som chega ao nosso ouvido, ele deve ser processado e enviado ao cérebro pelas células ciliadas. Na pessoa com perda neurossensorial essas células deixam de funcionar corretamente.

Para identificar em que grupo de perda de audição a pessoa está, o médico realiza um procedimento chamado audiometria tonal. Com o resultado em mãos ele instrui o paciente sobre o tratamento, remédios ou cirurgias.

Graus de surdez

As perdas auditivas, segundo Hamerschmid, podem ser divididas em leve, moderada, severa e profunda. Na leve 20% da audição está comprometida. Na moderada perde-se de 50% a 60%; na severa, a porcentagem chega a 80; e a na profunda a surdez pode ser completa.  “Quanto maior a perda auditiva, maior o impacto na vida da pessoa”.

Quais são tratamentos para perda de audição?

Primeiramente o médico faz uma avaliação para classificar o tipo de perda auditiva e o seu grau. Depois disso, dependendo do resultado, há tratamentos com corticosteróides, vasoativos e outros; existe a possibilidade da cirurgia; e, por último, o implante de um aparelho auditivo – sugerido, principalmente, para pessoas com surdez profunda.

Precisa de mais informações sobre problemas com audição? Entre em contato com a gente. Clinipam, mais saúde para você!