Refrigerante pode estar associado a quase 200 mil mortes

Refrigerante pode estar associado a quase 200 mil mortes

Será que o refrigerante realmente faz mal à saúde? De acordo com estudo divulgado pela Associação Americana de Cardiologia, sim! Segundo o levantamento, o refri – nome popular aqui no Brasil -, pode estar associado a quase 200 mil morte por ano no mundo. Perigoso, não é?

Para chegar a esse resultado, os pesquisadores fizeram uma relação entre os dados do estudo The Global Burden of Disease (O peso Global da doença), publicado em 2010, e o número de mortes por diabetes, doenças cardiovasculares e câncer. Os males do refrigerante foram vistos, principalmente, na América Latina e no Caribe.

Outra pesquisa, dessa vez feita no Brasil por um pediatra da USP, mostrou que o consumo de bebidas açucaradas, entre elas o refrigerante, está muito alto entre os jovens.  Cerca de 15% das calorias diárias de pessoas com idade entre 11 e 17 anos são provenientes do consumo de refrigerantes.   A recomendação da Organização Mundial de Saúde é que o consumo diário seja de no máximo 10% de açucares na dieta.

A pesquisa também mostrou que na contramão ao excesso de ingestão de refrigerantes, está o de leite. O consumo diário, da infância à adolescência, caiu de 510 ml para 320 ml.  Os resultados são similares ao dos Estados Unidos, país com maior número de obesos no mundo.

Por que refrigerante faz mal?

Porque o refrigerante não tem valor nutricional. O excesso de ácido fosfórico pode gerar problemas cardíacos. Até o corante, presente no “refri”, é perigoso. Duas substâncias (2-metilimidazole e 4-metilimidazo) podem ter gerado câncer em animais. Além dessas contra indicações, há outras diversas. Converse com seu médico a respeito deste assunto!

Veja também: Brasil pode ampliar vacinação contra pneumococo!