Rótulos de alimentos terão alerta para alérgicos

alimentosparalaergicos

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) tomou uma decisão importante nesta semana: todos os rótulos de alimentos terão que informar a presença dos ingredientes que contêm algum tipo de substância que pode afetar os alérgicos, a exemplo de diversos países da Europa.

A norma entrará em vigor dentro de um ano, que é o tempo necessário para as empresas se adaptares à nova regra. Outra determinação da Anvisa é que os ingredientes sejam descritos no rótulo de forma compreensível, e não por meio de letrinhas miúdas.

Para tornar a medida mais efetiva, as substâncias descritas terão que ter os nomes comuns, conhecidos da maioria da população, e não nomes científicos, que podem gerar confusão.

Um dos pontos interessantes dessa decisão é que ela foi influenciada pela pressão de algumas mães de crianças alérgicas, que criaram um movimento chamado ‘’põe no rótulo’’. A ação, portanto, mostra que em questões de saúde a união da sociedade também pode gerar bons frutos.

Os alérgenos são substâncias presentes em animais ou plantas que provocam reação exagerada do sistema imunológico. Veja abaixo alguns dos principais alimentos que têm alérgenos e uma breve descrição de cada um deles.

Glúten:  é uma proteína presente no trigo, no centeio, no malte e em alguns cereais. É tóxico para quem é alérgico, podendo provocar danos ao intestino.

Leite: nas proteínas do leite existem 30 tipos de alergênicos que podem causar problemas ao sistema imunológico.

Peixe: o peixe geralmente é associado à saúde, mas, quando contaminado por bactérias, representa um risco ao organismo.

Soja: a soja é outro dos alimentos que fazem um bem danado ao organismo. Porém, em pessoas alérgicas, que geralmente são crianças e adolescentes, ela pode provocar cólicas e sangue nas fezes.

Ovos: A alergia ao ovo é classifica de duas formas: a imediata e a tardia. A primeira ocorro quatro horas após a ingestão do ovo; a segunda, em um tempo maior.

Outros alérgenos: nozes, amendoim, amêndoa, avelã, castanha de caju, crustáceos, látex natural, pistaches e pecã.

Veja também: Alergias aumentam com a chegada do inverno