Meditação mantém cérebro jovem

meditacao cerebroNós, seres humanos, perdemos um pouco da massa cinzenta do cérebro conforme ficamos mais velhos. É algo natural. Essa substância é responsável pelo processamento de informações que recebemos, nosso raciocínio e outras funções, a exemplo de controle muscular, percepção sensorial, emoção e fala.

O fato é que uma nova pesquisa, realizada pela Universidade da Califórnia, Estados Unidos, e publicada no periódico Frontiers in Psychology, descobriu que é possível preservar a massa cinzenta do cérebro — deixando-a mais jovem — por meio da prática da meditação.

Ler: exercício para o cérebro

clinipam-plano-de-saude-ler-exercicio-cerebro
Ao longo do tempo, sempre procuramos formas de nos manter saudáveis, física e mentalmente falando. Porém, às vezes, parecemos ignorar práticas simples que podem nos ajudar na busca por esse desenvolvimento. E um deles é a leitura, que se tornou um hábito cada vez menos apreciado.

Uma pena, pois, de acordo com diversos estudos, ler é um exercício e tanto para o cérebro. Em um deles, realizado pela Universidade Stanford, nos Estados Unidos, um grupo voluntário foi convidado a ler um capítulo de um romance dentro de uma cabine de ressonância magnética, enquanto eram analisados. Os resultados mostraram que, enquanto liam, as atividades cerebrais dos indivíduos aumentavam, pois o sangue fluía para diversas áreas do órgão associadas à concentração.

Gorduras saudáveis ajudam na saúde do cérebro

clinipam-plano-de-saude-gorduras-saudaveis-cerebro

Você, certamente, ouviu dizer que gorduras são ruins, certo? Bem, sim, mas não todas elas. Existem, também, as chamadas gorduras boas que, como o nome sugere, são benéficas ao organismo, principalmente ao cérebro, que é feito 60% dessas substâncias.

Segundo a nutricionista Karin Honorato em entrevista ao G1, com a quantidade adequada de gorduras boas no cérebro, você consegue uma transmissão neurológica saudável e rápida. “Cuidado com as gorduras ruins. Hidrogenadas, saturadas, excesso de fritura, pois isso atrapalha a relação cerebral”, diz.

Conheça algumas síndromes curiosas

clinipam-plano-de-saude-sindromes-curiosas
Elas são pouco comentadas por aí. Aliás, algumas delas nem parecem verdade e, por isso, são ignoradas ou encaradas como piadas. Porém, as síndromes curiosas são pura realidade. Uma realidade que poucos enfrentam, é verdade, mas elas estão lá. E conhecer um pouco mais sobre algumas delas nos ajuda a compreender e avaliar tais condições de forma mais crítica e séria. Portanto, separamos algumas delas para você. Olha só!

Saiba por que não conseguimos provocar cócegas em nós mesmos

clinipam-plano-de-saude-cocegas
Certamente, há um ou mais pontos em seu corpo que lhe provocam as tão desconfortáveis e divertidas cócegas. Mas, independentemente de você amá-las ou odiá-las, há uma pergunta que não quer calar e que a maioria das pessoas já deve ter se feito: por que não consigo fazer cócegas em mim mesmo? Bem, nós fomos atrás da resposta.

É bem simples, na verdade. Você não consegue fazer cócegas em si mesmo porque o cérebro reage de forma diferente a um autoestímulo. Isso porque ele é capaz de prever as consequências das ações que provocamos em nós mesmos. Logo, você não sentirá os efeitos das cócegas se for você quem as estiver fazendo.

Saiba o que é o autismo (Dia da Conscientização do Autismo)

clinipam-plano-de-saude-autismo
Autismo é o termo utilizado para definir um grupo de transtornos de desenvolvimento. São eles: dificuldade para se relacionar socialmente, mau domínio da linguagem para comunicação e comportamento restritivo e isolado. Isso acontece porque a condição afeta o desenvolvimento do cérebro e sua capacidade em relação às habilidades sociais e comunicativas.

Tais transtornos são chamados de Transtornos do Espectro Autista (TEA) e compreendem outras duas condições além do autismo: a síndrome de Asperger e o transtorno global de desenvolvimento. No primeiro caso, há todas as características do autismo, porém, ocorre o desenvolvimento normal da linguagem. No segundo cenário, ainda não há especificações.

Entenda por que ficamos vermelhos quando sentimos vergonha

plano de saude-clinipam-vermelho-vergonha
Imagine-se na seguinte situação: você é chamado em uma sala de espera repleta de pessoas. Ao levantar-se, dá alguns passos e, então, tropeça e dá de cara no chão. É, não parece muito agradável, não é? A sua reação voluntária será, provavelmente, levantar-se e tentar ignorar o que acabou de acontecer. Sua reação involuntária, por outro lado, será algo que acontece muito com quem passa por uma situação vergonhosa: ficar vermelho. Mas, por que isso acontece, afinal?

Segundo o professor da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), Elson Romeu Farias, em entrevista ao portal de notícias do Terra, a vermelhidão em situações como a descrita acima é uma resposta do nosso corpo. O que ocorre é que os batimentos cardíacos aumentam, causando uma intensa elevação da pressão arterial decorrente da descarga adrenérgica. Ou seja, o corpo percebe que algo não está certo e envia sangue demais ao cérebro em uma tentativa de autopreservação.

Esse ruborescer pode durar minutos ou horas, de acordo com o professor, dependendo da necessidade do corpo. A dilatação dos vasos sanguíneos também pode provocar calor, mas não em todos. Aliás, nota-se que algumas pessoas não ficam vermelhas em situações de vergonha. Isso porque conseguem, de alguma forma, disfarçar bem o sentimento. No entanto, ainda não se sabe como ou por quê.

Todavia, se você é um daqueles que fica todo corado quando algo vergonhoso acontece, não esconda-se. Afinal, vermelho ou não, a maior vergonha de todas é deixar de ser quem você realmente é.