Depressão: Mitos e Verdades

Definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como a principal causa de incapacidade em todo o mundo, a depressão atinge cerca de 350 milhões de pessoas de todas as idades no planeta. Contudo, a situação ainda é pouco conhecida entre as pessoas e é tida como um tabu.

Confira alguns mitos e verdades que ajudam a esclarecer melhor esta doença:

MITO: Todos os sintomas da depressão são mentais

Tristeza não é depressão. Entenda as diferenças

tristeza-e-depressão

Sinônimo de sofrimento, muitas vezes a tristeza é confundida com a depressão.  No entanto, elas são diferentes e é preciso ter isso muito claro, pois, ao contrário da tristeza, a depressão é uma doença grave que pode levar até mesmo à morte.

Além de momentos bons, de satisfação e alegrias, a vida também  é feita de altos e baixos, de problemas e medos e, por isso, não existe uma pessoa sequer que não conheça a tristeza. O sentimento, inclusive, faz parte do nosso processo natural de superação das decepções e perdas.

tristeza-depressaoO alerta, no entanto, deve ser dado quando a tristeza, e o consequente desânimo, não passam. A forma mais perceptível da doença encontra-se justamente nessa tristeza profunda e duradoura. Encontra-se ainda na perda de interesse por coisas que antes davam prazer, como sair com os amigos, com o parceiro, ir ao cinema, ao parque, etc.

Mesmo que esses sintomas aparentemente sejam simples de perceber, na vida cotidiana, isso não é tão fácil assim. Mais uma vez, a depressão tende a ser confundida com a tristeza e a pessoa com o problema frequentemente é vista pelos familiares, amigos,  colegas de trabalho, e às vezes até por ela mesmo, como preguiçosa, como alguém que não melhora porque não quer fazer nada para isso.

Além disso, nem sempre a pessoa demonstra esses sintomas. Pessoas aparentemente de bem com a vida podem sofrer com a depressão sem deixar com que os outros percebam o que seria para elas uma fraqueza evidente. Nesses casos, os sintomas mais aparentes são a falta de energia, problemas de concentração, problemas de apetite (comendo muito ou não querendo comer) e problemas com o sono (seja dormindo muito ou dormindo pouco).

Conheça os sintomas da depressão e veja como combatê-la

depressaoO médico e apresentador Drauzio Valella definiu a depressão como a “tristeza quando não acaba mais”. Só que diferente da tristeza, comum a qualquer ser humano, a depressão, que afeta mais de 350 milhões de pessoas no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), pode levar ao suicídio.

A cada ano, cerca de um milhão de pessoas tiram a própria vida por conta da depressão. Para se prevenir e não deixar que o sentimento ruim assole sua mente e seu corpo, o ideal é entender quais são os sintomas da doença, como identificá-la, quais são os tratamentos existentes, entre outras informações.

Depressão é a doença mais frequente na adolescência, diz OMS

depressaoApós recolher dados e números em 109 países, a Organização Mundial da Saúde (OMS) produziu um relatório que revela os principais problemas de saúde dos adolescentes. Foi a primeira vez na história da organização que um estudo completo do gênero foi produzido e, de acordo com a médica Flavia Bustreo, subdiretora geral para a saúde das mulheres e das crianças na OMS, a pesquisa é de suma importância, pois “o mundo não dedica atenção suficiente à saúde dos adolescentes”, declarou em entrevista ao G1.

De acordo a pesquisa, as três principais causas de morte entre jovens de 10 a 19 anos são os acidentes de trânsito, a AIDS e o suicídio. E estima-se que, no ano de 2012, 1,3 milhão de indivíduos com essa faixa etária tenham morrido no mundo devido a esses três fatores.

Estresse crônico no casamento pode levar à depressão

clinipam-plano-de-saude-casamento-estresse-depressao
Que a depressão é um problema recorrente nos dias atuais e é causado por diversos fatores diferentes, você já sabe. O que você pode não saber, entretanto, é que um desses fatores pode ser o casamento.

Pelo menos, é o que aponta um estudo da Universidade de Wisconsin-Madison, publicado na revista científica “Journal of Psychophysiology“. De acordo com ele, o estresse crônico causado pelo matrimônio pode causar depressão.

A pesquisa foi elaborada por meio de um questionário sobre estresse, que foi respondido por pessoas casadas. Os indivíduos também responderam perguntas acerca da qualidade dos seus casamentos e com que regularidade se chateavam com o esposo (a).

Após esta primeira fase da pesquisa, se passaram nove anos. Foi quando os voluntários retornaram para responderem a novos questionários e serem avaliados quanto a como reagem frente a experiências positivas e negativas.

Para os autores, os resultados são satisfatórios e de grande importância, pois ajudam na compreensão do porquê algumas pessoas são mais propensas à depressão do que outras. Neste caso, o estresse gerado pelo casamento serviria como um modelo para estudar os demais fatores que podem causar a doença.

E você, o que acha?

Entenda o que é bulimia

clinipam-plano-de-saude-bulimia
A bulimia é uma doença que consiste na ingestão exagerada de alimentos (episódios bulímicos) seguida de métodos compensatórios para que o indivíduo perca o que comeu. Tais métodos podem variar entre vômitos, uso de laxantes ou diuréticos e exercícios físicos em excesso.

A pessoa bulímica sente falta de controle devido aos episódios regulares em que consome alimentos demais. Para ela, perder peso ou, simplesmente, não engordar se tornam obsessões que, muitas vezes, são tão escondidas que familiares e médicos não conseguem perceber.

É possível praticar exercícios físicos durante a gravidez. Saiba quais!

clinipam-plano-de-saude-gravidas-exercicios-fisicos
A gravidez é um período lindo, mas repleto de dúvidas. Muitas mamães (e não só as de primeira viagem) têm muitas dúvidas acerca do que pode ou não fazer. E a prática de exercícios físicos durante a gestação está entre elas. E a resposta para esta dúvida é o tema do post de hoje.

A resposta é sim. Aliás, exercícios físicos não só podem ser realizados durante a gestação como são essenciais para o bem-estar gestacional. Dentre os benefícios resultantes da prática, podemos citar o controle de peso da mãe, a redução de riscos obstétricos, a manutenção do condicionamento físico e a diminuição de males como o estresse e a depressão.

Saiba o que é transtorno bipolar

clinipam-plano-de-saude-transtorno-bipolar
Os transtornos bipolares são doenças psiquiátricas caracterizadas pelas mudanças drásticas de humor, variando entre ápices de bom humor e irritação, felicidade (mania) e depressão. De acordo com a Associação Brasileira de Transtorno Bipolar (ABTB), 4% da população adulta sofre com esse mal. No Brasil, a doença atinge 6 milhões de pessoas.

Tais oscilações provocadas pela condição podem ocorrer de forma rápida, porém, não duram muito, explica a presidente da ABTB, Ângela Scippa, em entrevista ao Bem-estar. Segundo ela, os quadros depressivos duram por volta de 15 dias, as manias estendem-se por cerca de uma semana e a hipomania (euforia leve) dura, mais ou menos, quatro dias.

Como saber se estou com depressão

plano-de-saude-depressao
Doença que caracteriza o estado de humor da pessoa, deixando-a com um forte sentimento de tristeza e melancolia. Esta é a definição deste mal conhecido como depressão. E, sim, a depressão é uma doença. E muitos são os fatores que podem contribuir para o seu aparecimento e desenvolvimento. E são eles o tema do nosso post de hoje.

Quando o indivíduo se encontra em um estado depressivo, há alterações químicas no cérebro, principalmente com relação aos neurotransmissores (serotonina, noradrenalina e dopamina), substâncias que transmitem impulsos nervosos entre as células. E isso deve-se a fatores genéticos (predisposição), somados a fatores ambientais, sociais e psicológicos.

Sentimentos de tristeza, desesperança, desânimo e angústia estão entre os principais sintomas da depressão, mas males como irritabilidade e raiva também podem fazer parte do diagnóstico. Cansaço extremo, desinteresse, falta de motivação, apatia, insegurança, pessimismo, insônia e baixa autoestima completam o quadro de quem sofre, literalmente, com a depressão.

A boa notícia é que há, sim, tratamento contra a depressão. Atualmente, existem mais de 30 antidepressivos disponíveis. Todos não viciantes. Alguns pacientes, entretanto, precisam de tratamento contínuo durante toda a vida para evitar que crises depressivas levem-nos a tomarem decisões extremas. E, além dos remédios, há a terapia, que visa a reestruturação psicológica e o alívio no que se refere ao estresse, que pode agravar o quadro depressivo.

O que é o transtorno mental

O que é o transtorno mental

Parece que hoje em dia quase todo mundo se esconde atrás da famosa desculpa: “Acho que sou bipolar”. Mas atenção, cada vez mais isso vem se revelando uma verdade.

O transtorno mental é uma condição psíquica que compromete a saúde física e afetiva das pessoas. De acordo com o Plano de Ação para Saúde Mental 2013-2020, elaborado pela OMS (Organização Mundial da Saúde), 700 milhões de pessoas no mundo têm algum tipo de transtorno. O documento também mostra que 13% de todas as doenças ao redor do globo são transtornos mentais.

Os transtornos mentais podem ser ocasionados por diferentes fatores, como genética, modificações das funções cerebrais pelo abuso de drogas, estresse, tipo de educação, agressões físicas e psicológicas, perdas, frustrações e decepções.