Como se prevenir da gripe no inverno

clinipam-plano-de-saude-prevenir-gripe-inverno
É o tempo começar a esfriar para a sinfonia de “atchins” e “cof, cof” começar. Espirros, tosses e narizes trancados e vermelhos por todo o lado. Sim, caros leitores, a temida gripe parece inevitável com a chegada dos dias frios. Mas isso não significa que você não possa tentar evitá-la. Para tanto, separamos algumas dicas ‘quentinhas’.

A primeira delas é: certifique-se de dormir bem. E não estamos falando apenas de quantidade, mas de qualidade. Dormir cerca de sete horas reforça o sistema imunológico e mantém os vírus afastados. Sem falar que a prática auxilia na manutenção dos níveis de cortisol, que é o responsável por prevenir doenças.

Quais são os tipos e como evitar a herpes?

clinipam-plano-de-saude-herpes
A herpes é uma doença causada por um vírus que possui duas formas: simples e zoster. Na forma simples, a doença ataca os lábios e a genitália, enquanto o vírus zoster manifesta-se, geralmente, na região do tórax.

No primeiro tipo, o vírus afeta a mucosa da boca e o entorno dos lábios, gerando sintomas como bolhas, dores e vermelhidão. No segundo, que é a forma mais grave da doença, a causa está ligada ao mesmo vírus da catapora, ou varicela. As lesões são semelhantes àquelas presentes na herpes simples, mas atingem uma área mais extensa, chamada de dermátomo.

Entenda a conjuntivite

clinipam-plano-de-saude-conjuntivite
A conjuntivite nada mais é do que a inflamação da conjuntiva ocular, que consiste em uma membrana transparente e fina que reveste a parte da frente (branca) do globo ocular e o interior das pálpebras.

Ela é responsável por produzir muco para cobrir e lubrificar os olhos. Além disso, possui pequenos vasos sanguíneos que, quando há irritação ou inflamação na conjuntiva, alargam-se e destacam-se, causando a vermelhidão nos olhos. Isso que pode durar de uma semana até quinze dias, dependendo do caso.

Os riscos de se roer unhas

clinipam-plano-de-saude-roer-unhas
Quem tem o costume de roer as unhas sabe o quanto a prática pode ser desagradável, porém involuntária. É encontrar-se em uma situação de ansiedade ou estresse e, pronto, lá está você novamente com as unhas na boca, sem perceber. O problema é que roer as unhas pode fazer mais mal do que você imagina.

O vício em roer unhas, chamado de onicofagia, promove a destruição de elementos importantes para o nosso corpo, como a cutícula e a pele, que são responsáveis por nos proteger dos agentes externos (vírus e bactérias) que querem colonizar nosso corpo. A região roída também pode sofrer com inflamação e pus, devido às feridas causadas pelos dentes.

Entenda o que é a sinusite

clinipam-plano-de-saude-sinusite
A sinusite é uma inflamação das vias respiratórias superiores, nos seios da face: cavidades no interior dos ossos, ao redor do nariz, maçã do rosto e olhos. Surge após gripes ou crises alérgicas, que favorecem o acúmulo de muco. Pode, também, ser causada pelo desvio de septo, embora bactérias, vírus e fungos sejam suas principais aliadas.

O que ocorre é que, como os seios da face têm a função de auxiliar na formação da voz, aquecer o ar que inspiramos e também diminuir o peso do crânio, eles são cobertos por uma mucosa, responsável por mantes esta região limpa. Quando esta mucosa é atacada, portanto, a comunicação entre as cavidades é fechada e a ação protetora da mucosa é inibida. Desta forma, nasce a sinusite.

Conheça os sintomas da labirintite

sintomas-labirintite
A labirintite é caracterizada por uma desordem (afecção) que compromete o equilíbrio e, em alguns casos, a audição. Isso porque afeta os labirintos, que estão localizados dentro do sistema vestibular, órgão responsável pelo equilíbrio. Entretanto, é chamada de labirintite de forma equivocada, pois não representa todas as complicações com as quais o labirinto pode sofrer.

Manifesta-se com mais frequência por volta dos 40 ou 50 anos de idade e pode ser causada por vírus, infecção por bactéria, lesão na cabeça, alergia ou reação a certos medicamentos. Ou, ainda, por alterações no organismo, como o aumento dos níveis de colesterol, triglicerídeos e ácido úrico, que podem interferir nas artérias, reduzindo a circulação de sangue em áreas do cérebro e do labirinto.

Dentre os principais sintomas causados por este mal, encontramos as náuseas, as vertigens, a tontura e o desequilíbrio, a ansiedade e o nistagmo (movimento involuntário dos olhos). Portanto, se alguns destes sinais aparecer ou persistir, consulte um médico o quanto antes.

É importante ressaltar também que, caso você esteja com labirintite ou queira se prevenir dela, é importante atentar-se a algumas dicas. Evite ingestão de álcool, fumo, situações de cansaço elevado, estresse e o uso de medicamentos sem prescrição.

Para diagnosticar a labirintite, é necessário realizar um exame físico e outro neurológico, pois um exame no ouvido pode não detectar o problema.