Unhas indicam como está a saúde do corpo

unha-saudavel-plano-de-saude-em-curitiba

 Coloridas, compridas, curtas, não importa! As unhas, muito mais do que estética, podem indicar como está a saúde do corpo. Se há falta de algum nutriente no organismo, a unha será a primeira a sentir e a mostrar. O ideal é que as unhas estejam sempre rosadas e com a lúnula (conhecida como meia-lua) bem branca. No blog da Clinipam você vai entender que é importante examinar suas unhas.

As unhas são responsáveis por mais de 10% das afecções de pele. Se estiverem amareladas, por exemplo, representam que há baixa imunidade. Quando quebradiças ou com manchas brancas, podem sinalizar desde alergia a alguns produtos (esmaltes, detergentes, sabonetes), até mesmo carência de ferro, ácido fólico e vitamina B12, que pode desencadear psoríase, micose e anemia.
hospital-onix-clinipam

O que acontece é que a unha é formada por três camadas queratinosas, então, quando há falta de vitamina ou nutriente no organismo, a produção de alguns hormônios e a fabricação de queratina são afetadas, o que resulta numa unha com um aspecto nada saudável. É importante saber que apenas um especialista pode dizer com precisão se as mudanças de aparência das unhas podem ser sinal de alguma doença e qual. Portanto, se observar algo diferente, procure um médico.

Assim como unhas roídas podem ser sinônimo de ansiedade, uma unha com aspecto diferente pode indicar alguma doença mais grave:

– Unhas amareladas: indica baixa imunidade, e esta atrai fungos, como a cândida, que deixam as unhas amareladas. Fumantes também podem apresentar coloração amarela nas unhas por causa da impregnação da nicotina. Se as unhas ficarem esbranquiçadas perto da raiz ou amareladas por inteiro pode ser um indício de doenças hepáticas.

Unhas azuladas: podem indicar enfisema, bronquite, asma e outras doenças pulmonares. Essas doenças dificultam a distribuição do oxigênio para o corpo, com isso, o sangue chega a alguns órgãos e tecidos já desoxigenado e azulado, o que se reflete nos vasos sanguíneos das unhas.

Unhas avermelhadas: podem indicar problemas de circulação ou endocardite bacteriana. Isso acontece quando bactérias invadem o endocárdio, membrana que reveste o coração, se multiplicam e migram para outras partes do corpo, como as unhas.

Unhas esbranquiçadas: comum em quem sofre de doenças do fígado. A queda da taxa de albumina, substância proteica fabricada no fígado e liberada no sangue, provoca o crescimento da lúnula e dá à unha um aspecto opaco.

Manchas brancas nas unhas: sinalizam deficiência alimentar, que também deixa unhas secas e quebradiças.

Unhas secas, fracas e quebradiças: podem indicar anemia; se houver afinamento da unha, pode ser sinal de hipertireoidismo.

Unhas grossas: se forem também amareladas ou acinzentadas, com linhas verticais esbranquiçadas, brancas na raiz e vermelhas nas pontas podem indicar doenças renais; se forem avermelhadas e com pequenas veias no dedo, ao redor das unhas, sinalizam diabetes. Grossas e opacas são sinônimo de hipotireoidismo; quebradiças, com depressões puntiformes e superfície rugosa, indicam psoríase.

– Unhas roxas: unhas roxas podem indicas diversos tipos de enfermidades. A doença de Addison, conhecida também como insuficiência adrenal crônica, é um exemplo. Além de deixar as unhas roxas, ela também dá um tom roxo para a boca.

As unhas roxas também podem indicar doenças pulmonares, como asma, bronquite e enfisema. Já manchas roxas nas unhas podem ser indicio de meningite e septicemia.

 – Unhas brancas e roxas: quando há alterações no fígado, as unhas costumam ficar brancas e roxas.

– Unhas escuras: sinônimo de problemas na glândula supra-renal.

– Unhas frágeis e doloridas: se há pontos hemorrágicos e de descolam ou descamam, podem indicar doenças digestivas.